viernes, 30 de mayo de 2008

Casas de banho, grafittis e cardiologia...

Nos Salsaplaces ir à casa de banho torna-se imperativo como em qualquer espaço onde o organismo humano funcione na sua plenitude, cérebro incluído. É daqueles momentos dos quais quase nunca nos lembramos, como se ir à casa de banho fosse algum pecado e para os mais psicopáticos: toda a gente saber que foram a casa de banho e o que foram lá fazer...tipo respostas com opção múltipla!
Há sempre quem teime em fazer grafittis...nas casas de banho, nas caixas de correio, nas estações de serviço...O mais engraçado é que a maioria não têm graça nenhuma.

Não sei se nas casas de banho femininas,as mulheres também exprimem seus dotes artísticos e escrevem na porta que cobre a intimidade da sanita: "O Manel têm cheiro a Katinga" ou "Liga-me para o 900306969" e por baixo uma nota: "Faço de ti uma Salsa com Kizomba" com um coração em forma de nádegas* ou "Procuro par para dançar, revoltar e comer" com rodapé: "Caso algum bêbado enganado, ler...eu sou a loira ao pé do Bar" Será que as mulheres também fazem graffitis? Chichi e cocô fazem sem dúvidas, isso descobri quando era puto, com a particularidade de que nós temos mais pontaria para acertar em alvos a uma distancia "x" e não temos que executar malabarismos, tipo: Uma perna na porta, outra na sanita, uma mão nas cuecas, outra no autoclismo...boca no papel higiénico, ou será o contrário?

Não, as casas de banho dos Salsaplaces carecem de literatura alternativa ou se existir , ninguém lê...e se lêem, não respondem com medo ao que possam pensar.

Olha, acabo de descobrir um trauma inerente nalguns salseiros:
Medo de pensar, por causa do que os outros possam pensar do que ninguém, nem consigui escrever em resposta a uma coisa sobre a qual não têm opinião. Intrigante, não?

*Nunca percebi porquê graficamente toda a gente representa o coração com forma de nádegas em perspectiva e não como é na realidade, uma coisa cheia de grossas veias, latejante, cheio de vida que não cuspe.

2 comentarios:

Hugo Leite dijo...

Também não percebo isso do coração em forma de nádegas (talvez seja alguma carência por parte dos artistas!) agora, que muitas vezes, esses momentos de alívio correspondem a momentos de inspiração... lá isso... é verdade!

Jeje!

Anónimo dijo...

Nós as Senhoras na hora da casinha...viramos polvos....-)))))..e muitas delas (eu incluida) nem nos sentamos..-))))))

bjs..isabel