domingo, 8 de junio de 2008

Resistir - Ernesto Sabato (fragmentos)


Aqui vos deixo um fragmento do livro citado no post anterior e que sem dúvidas está proporcionar uma forte influência na minha forma de pensar:

"Na vertigem tudo é temível e desaparece o diálogo entre as pessoas. O que nos dizemos são mais números do que palavras, contém mais informação do que novidade. A perda do diálogo afoga o compromisso que nasce entre as pessoas e que pode fazer do próprio medo um dinamismo que o vença e que lhes outorgue uma maior liberdade. Mas o grave problema é que nesta civilização doente não há só exploração e miséria, mas também uma correlativa miséria espiritual. A grande maioria não quer a liberdade, teme-a. O medo é um sintoma do nosso tempo. A tal extremo que, se rasparmos um pouco a superfície, poderemos verificar o pânico que está subjacente nas pessoas que vivem sob a exigência do trabalho nas grandes cidades. A exigência é tal que se vive automaticamente sem que um sim ou um não tenha precedido os actos. A maioria da humanidade é empregada de um poder abstracto. Há empregados que ganham mais e outros que ganham menos. Mas quem é o homem livre que toma as decisões? Esta é uma pergunta radical que todos temos de nos fazer até ouvirmos, na alma, a responsabilidade a que somos chamados. As dificuldades da vida moderna, o desemprego e a sobrepopulação levaram o homem a uma preocupação dramática com o económico. Do mesmo modo que na guerra a vida se debate entre ser soldado ou estar ferido num hospital, nos nossos países, para uma infinidade de pessoas, a vida limita-se a ser trabalhador a tempo inteiro ou ser excluído. É grande a orfandade que se propaga nas cidades; a grande solidão da pessoa original é uma das tragédias da vertigem e da eficiência."


Ernesto Sabato in "Resistir" da editora D.Quixote


Eu não conhecia a obra de Ernesto Sabato, nem o nome...curiosamente, depois de ter lido nos últimos tempos, escritores argentinos como J.L Borges e Julio Cortázar, a sua obra tocou à porta deste humilde leitor. De leitura obrigatória para muitos ou não. Não gosto de impingir leituras. O livro em questão é uma peça dum Puzzle que ando a construir faz muitos anos.

No hay comentarios: