martes, 30 de septiembre de 2008

A Cidade e a Provincia

Li "A Cidade e as Serras" do Eça já faz alguns anos, sem esquecer os momentos prazenteiros que tive na sua leitura.

Sempre gostei de espaços urbanos, de gente, embora goste mais de gatos do que de pessoas...nas cidades as pessoas são menos intrometidas na vida pessoal do que na provincia.

Existem cidades e cidadelas; aldeias e povoações; vilas e parques de campismo...Ah! também existe Cascais!

Tenho andado a tocar por aquelas paragens. No passado sábado fui tocar numa festa perto da Praia do Guincho. Estranho nome...uma praia onde os guinchos...não vi nem ouvi nenhum.

Lá por aqueles lados existem os filhos de tal e "masquál". Quando as pessoas se apresentam introduzem os pais para tudo. "Fulano de tal" um prazer, "filho de Sicranejo Pascoal"...muito famoso na sua rua.

Urbanidades que parecem provincianismos genealógicos.

E na Salsa?

Na Salsa os provincianismos são até engraçados...dá para rir.

Por exemplo:

Alguém se lembrou de organizar uma festa onde as pessoas levassem seus cd´s, sua musica para ouvir...imagino a parolice que não há de ser. Divertido não? Foge!!!!

Noutra festa onde fui tocar a selecção musical do Dj parecia ter sido sacada...claro de onde haveria de ter sido sacada? Do gosto, que afortunadamente já não é geral, tanto nas cidades como na provincia.

Alias, o perigo para cair na chungize musical neste país, já nem é provincial nem citadino. È cognitivo ou melhor dito, da sua falta...

2 comentarios:

Luis Pinto dijo...

Essa da festa em que cada um levava os seus cd's varia muito com o tipo de pessoas que for - consigo-me lembrar de meia dúzia (talvez menos) de pessoas que numa festa dessas haviam de arranjar e partilhar (que é o mais importante) coisas porreiras - mas a maior parte havia de contribuir com Frankie Negron, Victor Manuelle e Lalo Rodriguez...

Quanto à conversa do fulano filho de sicrano, ainda há uns dias tive essa conversa com alguém que já anda metido na salsa há uns anitos valentes, a propósito da organização de um evento de salsa que tem como objectivo celebrar os não sei quantos anos de salsa numa determinada cidade portuguesa, e se fala de certas pessoas cuja evolução nos últimos tempos tem sido praticamente inexistente, e cujo "valor" foi simplesmente terem começado.. Não é o facto de terem começado que faz deles bons actualmente! Terá de haver uma evolução, não podemos ficar sentados à sombra da bananeira a fazermo-nos valer do que achamos que nos define como bons, sejam os nossos pais, sejam os nossos professores, sejam os nossos feitos há 10 anos atrás...

Salsapica dijo...

Oi Luis:

Essa da festa com os cd´s levados é por causa de que é equivalente ao que fazem certos bares com as Jam Sessions...para não terem que pagar aos músicos...é a mesma coisa. manipulam a boa vontade das pessoas...

Qualquer Dj frente a uma situação destas no mínimo deveria questionar-se o motivo de tal coisa.

Devemos respeitar o trabalho, quando o mesmo é assumido de forma profissional. E iniciativas assim , não o são...eu entendo-as como reflexo do pouco que se respeita a um Dj e dar assas a mediocridade alheia.

Abraço